Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Já tenho cebolas!

Uma nova fase da vida, um velho amor.

Já tenho cebolas!

Uma nova fase da vida, um velho amor.

E eu, sempre tão segura de mim...

26.05.20, Mary
E eu, tão jovem, esbanjadora de saúde, resistente a calor e frio, capaz de segurar a bexiga dias inteiros, comer porcaria sem se notar na pele e no físico. E eu, essa força da natureza indestrutível, inolvidável, corajosa e indomável, capaz de dobrar preconceitos e estereótipos. E eu sempre tão segura de mim... Afinal sou humana e também falho. E essas falhas estão a apagar muito do que conquistei. Stress que causa mais stress. Falhas de memória e um cansaço quase crónico, o (...)

A mãe, por todo o lado

25.05.20, Mary
Sou orfã  de mãe. Ela tinha 36 anos e eu 5 dias de vida quando deixou de ser o meu colo para ser o meu anjo da guarda,até hoje e provavelmente para sempre. Sempre soube da verdade. Apesar de ter tido uma mãe de carne e isso para me criar e lhe dar uma valente trabalheira, a minha mãe mesmo estava no cemitério. Foi isto que me foi incutido desde que me lembro. Mas nunca foi assim que eu vi o assunto e é a primeira vez que falo nisto. A ideia de mãe para mim é repartida por duas, (...)

Domingo.

24.05.20, Mary
De regresso. E daqui por diante, com a ligação mais ou menos retomada com os meus pais, o desafio vai ser até que ponto saberei dizer que não. Tem-me sabido tão bem a minha liberdade... Bom dia :)  

Fazes-me falta.

Sem pressa de chegar ao fim.

23.05.20, Mary
(...) " Anjo que tardas, minha lotaria, dá-me as tuas asas que eu dou-te alegria. Anjo sem casa nem sabedoria, balda-te ao céu, faz-me companhia. Anjo fugido, de cabeça esguia, pousa no meu colo  e diz-me «bom dia». Anjo enganado, cor da minha vida, volta para o meu lado ou dá-me uma saída. Anjo do escuro, pássaro sem medo, leva as minhas penas, dá-me o teu segredo."(...)   Porque nada vai bem. Porque só consigo deitar as mãos a cabeça. Porque...sei lá.

Bom dia.

23.05.20, Mary
O instinto estava certo. Acordei de manhã arrependida, com um perfume ao lado de que não gosto, ao lado de alguém que não me desperta nada. Olhei para ele a dormir e acho que esperei a noite toda que o despertador tocasse e fosse finalmente embora. Não me deu tesão, ligeiramente molhada mas é suposto um homem povocar bem mais que isso. Não houve carinho, para ti fui as mamas que apalpaste feito tosco, o rabo que acariciaste com as unhas. E agora que foste embora só me consigo (...)

Maravilhas de viver só

22.05.20, Mary
Aquelas coisas que viver sozinha me permitiu e eu faço não porque tenha necessidade, mas porque posso. Chegar a casa e ir-me despindo corredor fora, num show de strip privado com tanto de cómico como de sensual; A porta do wc aberta, esteja no trono ou no banho; Não ter de me preocupar com o barulho que faço ao sair de casa de madrugada, para trabalhar; Poder dormir fora de casa, sem ter de dar explicações! Dentro destas quatro paredes sou eu e a minha pele, as minhas coisices, o (...)

Até que ponto te permites ser livre?

22.05.20, Mary
Até que ponto tens medo de levantar âncora, mudar de vida, pegar nas armas e bagagens e seguir? Até que ponto tens coragem de seguir os teus sonhos? Se é que ainda os tens... Até que ponto és capaz de dizer foda-se ao que não te serve, ao comodismo, ao politicamente correto? Quão estás longe do que idealizaste para ti? Lembras-te do que já quiseste ser? Não achas que mereces algo para lá da dita rotina, rota do uso, sabida de trás pr'a frente, decorada de cor...? Olha em (...)

A ganza.

P* ta da minha sorte por gostar de um ganzado.

21.05.20, Mary
Vou direta para o inferno depois de escrever isto. Mas... Já não sei que faça. Aliás, a vida é tua e fazes o que bem entenderes. Mas... De cada vez que olho pra ti , de charro na mão e a sorrir feito tolinho, o pensamento é sempre o mesmo: -Que desperdício. De inteligência, beleza e charme. -Que pena. Se a tua ideia de vida é ser um ganzado ad eternum, então não te mostres. Não demonstres o teu raciocínio rápido, a tua astúcia. A tua avidez por sabedoria, por coisas novas. (...)

Desabafo ao fim do dia.

20.05.20, Mary
Há coisas que só uma mulher sabe. São as mulheres que carregam o mundo nas costas. Somos a força motriz, na retaguarda durante tanto tempo e agora, mais do que nunca, perdemos o medo de pegar nas rédeas desta porra toda. Somos mais do que a maquilhagem, o rabo empinado e os saltos. Somos isso tudo e muito mais num compacto de coragem andante. Somos destemidas. A coragem e a sagacidade é algo que trazemos já no adn, já nascemos como que avisadas que o mundo não vai ser nosso amigo. Porq (...)