Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Já tenho cebolas!

Uma nova fase da vida, um velho amor.

Já tenho cebolas!

Uma nova fase da vida, um velho amor.

Nostalgia pré-férias

IMG_20200624_102635.jpg

Porque o caminho faz-se andando. 

E foi nesta paisagem o meu último dia, até ver, como capataz, o último trabalho antes das férias, a última equipa que pude chamar de minha.

Lutei, esperei e ansiei pelo cargo. Sei de sobra que não correu bem mas é incrível pensar nos últimos seis meses e pensar: consegui.

Valeu a pena a espera. Se valeu.

Ganhei calo, experiência e algum sangue frio. Ganhei conhecimento, tornei-me conhecida, conheci lugares e tornei-os pontos a retornar.

Fiz amigos. E inimigos.

Provei a mim mesma que sou capaz, que o caminho se faz andando e que a experiência se conquista.

Foi só a primeira etapa de muitas.

Agora é esperar pela vindima!

 

Mau de cama, mau carácter e para esquecer.

Eu tinha-o arrumado na minha gavetinha mental, e para lá voltou.

original (5).jpg

Eu achei que ia rolar, que ia ser um remember como nos velhos tempos.

Levei o mau feitio do costume mas ele desta vez tinha uma arrogância que não lhe conhecia.

Foi bruto.

Foi a vontade que não surgiu. E do nada, um sentimento súbito "o que é que eu estou aqui a fazer".

Soltei-me e fugi. Sem tristeza , revoltada comigo mesma porque nem devia ter ido.

É passado.

Isto de estar sozinha não tem sido fácil, já falei várias vezes disso aqui. Mas também não é qualquer coisa. Não é o desespero. 

Não ter sexo a doer, é dar-me a alguém com quem realmente me sinta bem.

É sentir-me feliz. É ser tocada como gosto. É não servir qualquer coisa porque ninguém me quer...

Whatever...

Vamos ser realistas.

6ccd10569c47752fb6866405225d8f5e.jpg

Não pode haver ilusões.

Agora fala-se muito da depressão pelo que sucedeu com o Pedro Lima.

Agora.

Depois há-de vir outro drama que leve a nossa sensível piedade para outra direcção.

Falar das coisas sem sentir é meramente debitar bagatelas.

Tanta gente sem saber o quão horrível é ter um ataque de pânico.

Ou pensar em suicídio e tentar imaginar o mundo depois de nós e ver que afinal somos o mesmo que nada.

Sentir uma tristeza sem fundo e vinda do nada, não ter perspetivas, não ter vontade de nada.

Viver a vida sem a sentir .

Oxalá que tanta gente que li a opinar e a lamentar nunca passe por isso.

Ver na morte a única libertação possível de algo que não tolhe mas prende, vai mas volta, e quando volta é cada vez mais forte. Até levar tudo.

Parem de opinar. Criem linhas de apoio, façam com que a depressão seja levada mais a sério.

Ainda há quem zombe de algo tão...mau.

Mas a maré vai passar. A poeira vai passar e a piedade irá parar ao próximo drama.

Não se vai aproveitar a oportunidade, vai haver mais Pedros anónimos, vai continuar a haver suicídios.

Porque a depressão simplesmente não passa, vai passando.

 

 

O bom rebelde.

original (5).jpg

Ele estava arrumadinho na gaveta das memórias... Era aquele caso que já dava por terminado, morto e enterrado.

Até ontem.

Ontem era manhã e o olhar dele não me largou... Estávamos em zonas opostas da esplanada, deu os bons dias, o que não esperava.

Voltámos a falar e não nego que a hipótese de me voltar a envolver com ele não me está a deixar bem alegre. Só que passaram quatro meses, ele diz que gosta de mim mas que não quer que o pressione. Eu não quero fazer dele troféu nem trazê-lo com uma trela. Apenas saber com o que contar...

A conversa hoje foi basicamente isto.

A quatro meses atrás, ele era meu vizinho. E eu não tinha ainda televisão, nem o computador nem a net instalada cá em casa. Estava a trabalhar a mais de 100km de distância de casa, as coisas não estavam a correr bem. Ele re-surgiu na minha vida na altura certa. Já o conhecia, já tínhamos tentado ter sexo no verão passado mas retraí-me e não rolou. No inverno, está frio e sabe melhor estar juntinho. Tivemos algumas noites épicas, seja intimamente ou não.

Chorei-lhe no ombro, descarreguei algumas vezes nele sem ter culpa nenhuma. Dormiu algumas noites mal a conta do meus pulsos abertos (Síndrome do túnel do carpo, uma lesão de esforço).

Até inesperadamente mudar de casa, até ter ficado danada por não me ter dito nada, por tê-lo confrontado e ele não ter gostado. Depois foi seguir em frente, muitas horas no chat, os dois casos arquivados de que já aqui falei. Ele foi muito importante numa altura em que me senti muito só. Curiosamente, tenho sentido uma solidão parecida... Agora por diante, sei lá... Aguardem os próximos capítulos.!!

Nunca fui a praia.

Primeiro dia de verão :)

21cf03d7f1ec26dfae5fac5624fc38b8.jpg

É a meta para este ano, sem olhar ao tamanho do biquini. Ir pela primeira vez a praia. Para quem achar estranha esta situação, basta ter noção da realidade do interior. Aqui ir de férias é um luxo, o mar fica muito longe, e as férias a que se tem direito no emprego usam-se para fazer as colheitas da azeitona, da amêndoa e até mesmo da vindima. Em muitos casos, é pelo dinheiro extra que entra, outros é pela disponibilidade para se aproveitar o que se tem. Mas este ano, dada a saída de casa dos meus pais e a curiosidade que tenho, e tempo também vou ter de certeza....este ano vou finalmente a uma praia de mar!

Complexos, parvoíce, sei lá

original (4).jpg

Já me cruzei com raparigas da minha geração e pensei: nunca vou ser como elas.

Isto ganha dimensão quando as ditas foram colegas de escola.

Com as outras, posso bem.

Ás vezes tenho complexos, por não andar tão bem arranjada, não ter o meu séquito de amigas. 

Outras vezes, penso no quão raro é ver uma mulher a fazer o meu trabalho, sem perder a feminilidade, a lidar com homens, a liderar homens e sendo respeitada. E sem ter ar de "aldeia", como têm as poucas colegas com que me vou cruzando por aí.

Não faço ideia de quanto custa a roupa na Primark mas sei e bem quanto custam umas botas Chiruca (são assim, o supra-sumo do calçado de trabalho).

Mas o complexozinho está cá...

E sei que os homens olham é para elas, femininas, arranjadas, bonitas.

:(

O resto é cansaço.

b42b9f66b2d672996ad28df79f881a95.jpg

Fim do dia.

Queria-te aqui, o meu pijama dos minions amarrotado pelo teu abraço, o teu perfume fundido na minha pele, a minha mão perdida pelo teu cabelo.

Queria-te assim, companheiro, cansado do dia e terno da saudade, com o pensamento a seguir as mãos, que me massajam o corpo e reconfortam a alma.

Queria o encosto do teu peito ao invés do sofá, a tua voz a ecoar pela sala sem precisar do ruído de fundo da tv. Queria-te aqui , mas não era por capricho ou somente porque sim. Tudo tem uma razão de ser e hoje era poder adormecer a sorrir nos teus braços.

Está tudo bem, não te preocupes.

Há algum desânimo mas,

o resto é cansaço.

 

Reminiscências daquele primeiro amor

unnamed (3).jpg

A minha sobrinha. 13 anos e o primeiro namorado.

Feliz e ao mesmo tempo com todos os medos do mundo que ela sofra.

E aquela nostalgia. Apaixonei-me pelo meu melhor amigo da altura justamente com 13 anos.

O primeiro amor...meu deus.

Andei atrás dele, pacientemente, durante três anos.

Faltava as aulas para poder almoçar com ele. Armei-me em jogadora de futebol. Por pouco não me tornei adepta do benfica. Por pouco!!

Eu era doida por ele, ele aproveitava a atenção e toda a gente me gozava por isso. Principalmente, por toda a gente ver o que eu não via: ele não gostava de mim.

Felizmente, o acordar para a realidade foi suave, fui esquecendo aos poucos.

E foi a indiferença dele perante o meu afastamento que tornou o óbvio, evidente.

Vivi momentos marcantes, éramos muito cúmplices.

a27ef9d6e5135cfc3c421a4650302f68.jpg

Acho que foi essa cumplicidade que tornou tudo tão mágico.

Apesar de ter sido só eu a gostar.

Ele é loiro, pele clara e olhos azuis. Não mudou muito as feições desde essa altura.

E as raparigas com que o fui vendo desde esses tempos, fisicamente não tem nada a ver comigo: cheinhas, tom de pele rosado e mais baixas do que ele.

Custava muito ter-me dito que não fazia o tipo dele?

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

  • Em segredo

    27 Outubro, 2020

    Porquê... Porque é que a vida te leva para longe dos meus braços, a cada dia que amanhece? (...)

  • Atão, como é?

    16 Julho, 2020

    1_"sou homem peludo avantajado e procuro so rapariga de maior idade do alentejo para prazer (...)

  • Tu.

    14 Julho, 2020

    Deixas-me sem jeito. Tropeço nas palavras, nos meus próprios pés, na minha timidez. O (...)

  • E tu, e esse teu charme...

    15 Maio, 2020

    A facilidade com que me entrego a ti é irrisória. Não precisas de me tocar para te querer, (...)

  • Para o jeitoso do fim de semana passado, mais um q...

    12 Maio, 2020

    Passei boa parte da noite assim, a ver-te dormir, estudando-te os traços da fisionomia por (...)

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub